Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Crónicas do Whisky

Portuguese Finest

Bolos, Casamentos e Turrões

Hoje, gostava de falar sobre a notícia que andou meia dúzia de dias a ser tema de conversa online. Refiro-me à história americana do pasteleiro que acabou processado por um casal homossexual por não lhes fazer o bolo de casamento, com base nas suas convicções religiosas, mas, que acabou absolvido pelo Supremo Tribunal.

Considero que é uma situação caricata. Tudo por causa de um bolo. O que me faz lembrar aquelas rinchas de escola primária, quando se levava o bolo de aniversário e não se queria que alguém comesse porque não era nosso amigo, apesar de andar na mesma turma.

Tenho a certeza que o casal já foi mais vexado e vitimizado pelo sentimento homofóbico, do que por este pasteleiro, que ao que tudo indica se recusou, por uma questão de princípios religiosos e não necessariamente por serem homossexuais, apesar de serem motivos muito ténues.

Também, tenho a certeza que o pasteleiro já violou mais vezes a regras sagradas. Não seria o simples bolo de casamento para um casal homossexual que o faria ir para o inferno. É muito provável que vá mais depressa para o inferno por ser ele a praticar o pecado, do que por fazer um bolo para pecadores.

Por isso acho que todo este achincalho é no mínimo estúpido. No fundo, não se tratou de defender direitos de ninguém, mas, de embirrância mútua.  Se o casal homossexual tinha um casamento marcado, porque foi perder tempo e dinheiro para os tribunais?  Se o padeiro preza tantos os valores religiosos, porque, não amou o casal tal com é e lhes fez o bolo? Afinal Jesus bebeu água dada pela Samaritana e comeu com pecadores.

Temos aqui três pessoas turronas, por assim dizer.

Depois assistimos aqui a um “trilinguismo”, em que se fala de homofobia, se fala de religião e no fim vem o tribunal a falar de lei. E o que é que o tribunal vem concluir? Qualquer um pode ter razão, dado que o veredito foi feito com base numa votação.

Defendo os direitos dos homossexuais, só que o meu barómetro da gravidade da situação diz-me que não se trata de um caso de tribunal. Até, porque, acabaram por ir a outra pastelaria fazer o bolo. Defendo, igualmente, os direitos de ter religião e respeito os valores de cada um. Só não concordo em usá-la como desculpa para mascarar homofobia e outras agressões sociais.

10 comentários

Comentar post